• LinkedIn - Círculo Branco
  • Facebook - White Circle

Mercado Advocacia - Sociedade inscrita na OAB/SP 15.830, inscrita no CNPJ/MF sob nº 21.495.242/0001-73

Avenida Paulista, 171 - 4º andar - Bela Vista - São Paulo - SP

Referência: próximo ao Metrô Brigadeiro - Contato: tel. (11)  3042 - 5702 -

e-mail: jlima@mercadoadvocacia.com.br

Consulte nossos Termos de Uso do Site

Posts Em Destaque
Please reload

Qual a importância da regularização da sua loja virtual?

January 26, 2017

 

Primeiramente, é intuitivo que a loja virtual possa parecer mais simples que uma loja física em um Shopping Center, mas na prática, ambas as modalidades de negócios têm suas complexidades que o Empreendedor não pode deixar de observar.

 

O pequeno Empreendedor de loja virtual poderá optar por iniciar seu negócio anunciando seus produtos para venda em plataformas já prontas, como no Mercado Livre, por exemplo, mas toda e qualquer atividade remunerada por pessoas físicas incidem obrigações legais a serem observadas.

 

A abertura da empresa é essencial para a geração de notas fiscais, além do que, com a opção da abertura de uma empresa limitada, em caso de insucesso do negócio, o patrimônio pessoal do Empreendedor não responderá pelas dívidas da empresa em muitas hipóteses.

 

Além disso, a abertura da empresa outorga maior credibilidade perante os consumidores, pois tudo que o Empreendedor puder realizar para passar confiança aos clientes deve ser feito.

 

Além do mais, os dados da empresa devem estar disponíveis para os clientes do e-commerce, o que não é possível em se tratando de uma pessoa física.

 

Muito embora seja possível atuar sem a emissão de notas fiscais, embora apenas para pessoas físicas, mediante a abertura de um MEI – Micro empresário Individual, o faturamento máximo é um limitador aos lucros e às vendas, sem contar que uma empresa emissora de notas fiscais outorga maior credibilidade ao seu negócio.

 

O registro do negócio também tende a ser mais vantajoso do ponto de vista do recolhimento dos impostos sobre a atividade. Em caso de informalidade e sonegação, o Empreendedor correrá inúmeros riscos perante as entidades governamentais, inclusive no âmbito criminal.

 

Além disso, através da pessoa jurídica, o Empreendedor poderá ter acesso a linhas de financiamento do seu negócio por intermédio das instituições financeiras, o que poderá incrementar o capital de giro do seu negócio.

 

Assim, não é uma opção para o Empreendedor exercer qualquer atividade na informalidade, diante das diversas opções de empresas disponíveis e conforme o tamanho do seu negócio.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Facebook
Posts Recentes
Please reload